FÍSTULAS APÓS PANCREATECTOMIAS

Cirurgia Hepatobiliopancreática : Fístulas após pancreatectomias
avaliação das condutas de 55 centros no mundo , a maioria deles europeus com volume superior a 50 pancreatectomias anuais, obteve as seguintes informações :

1) as fístulas são as principais complicações pós-operatórias, ocorrendo em cerca de 13% das duodenopancreatectomias e 30 a 40% das pancreatectomias distais ;
2) a maioria dos centros europeus utiliza análogo da somatostatina iniciando no pré-op e por um período médio de 7 dias mas os benefícios desta conduta são controversos ;
3) a maior parte dos centros utiliza antibioticoterapia profilática, estendendo seu uso nos pacientes com manipulação prévia das vias biliares quando obstruídas ;
4) a nutrição enteral é superior à parenteral e a associação das duas traz o melhor resultado nos pacientes sem condições de nutrição oral ;
5) a ocorrência de fístula não impede a nutrição oral ;
6) o tratamento preferencial das fístulas é a drenagem percutânea associada a análogo de somatostatina ;
7) mais de 90% dos centros utilizam drenos abdominais e fístulas bem drenadas possibilitam alta hospitalar ;
8) a remoção do dreno é baseada na concentração de amilase no líquido drenado.

(Melloul e cols , 2013)

2018-08-01T17:05:53+00:00 01/08/2018|Doença|