Fila de Transplante

Quando há indicação de transplante, o paciente deve seguir as orientações médicas e realizar os exames necessários para que seja inscrito na fila de espera.

Cada órgão tem uma maneira de distribuição conforme a legislação brasileira.

Ao contrário do que muitas pessoas imaginam, a ordem de inscrição não determina que o primeiro a se inscrever receberá o órgão antes do segundo e assim consecutivamente. Mas, sim, as condições médicas como: compatibilidade dos grupos sanguíneos, tempo de espera e gravidade da doença.

FÍGADO

  • Para transplantes de fígado o risco de morte é mensurado por um índice matemático chamado MELD (Modelo para a Doença Hepática em Estágio Terminal). O cálculo é feito com base nos exames laboratoriais do doente (Sódio, Creatinina, Bilirrubina Total e INR, sendo da mesma coleta). Quanto maior for o MELD, mais à frente da lista o paciente é posicionado.

RIM

  • Quem espera por um rim é posicionado na lista de acordo com a compatibilidade. Isso significa que os órgãos do doador passam por exames e uma análise genética completa e, após os resultados, são feitas análises comparativas com todos os pacientes. Os mais compatíveis ganham mais pontos, alguns outros fatores funcionam como desempate (tempo de espera na fila, tempo em diálise). Cada vez que um rim é doado, um novo ranking é gerado.

PÂNCREAS ou DUPLO: PÂNCREAS/RIM

  • A distribuição de órgãos para estas categorias leva em consideração o tempo de espera em fila (cronológico).

IMPORTANTE!

Assim que inscrito na fila, nossos enfermeiros informarão ao paciente o número de seu RGCT (Registro Geral da Central de Transplantes).
Guarde esse número, com ele que será possível consultar online a sua posição na fila de espera.

Clique abaixo para consultar online a sua posição na fila:

Cadastro Técnico de Rim
Cadastro Técnico de Fígado
Cadastro Técnico de Pâncreas Isolado
Cadastro Técnico de Pâncreas/Rim

2019-10-24T13:44:19+00:00 23/10/2019|POST TX|